Nova estruturação de franchising

By in
347
Nova estruturação de franchising

Muitas pessoas falam e ouvem falar sobre franchising. O que se percebe geralmente é que mesmo quem sempre utiliza esta palavra em inglês para se referir ao sistema (que já foi incorporada como tantas outras ao economês brasileiro), ou até quem já faz parte dele, muitas vezes pouco conhece do real fundamento em que está baseado o sistema de franchising como um todo.

Por definição simples (e existem várias diferentes) o franchising é um sistema eficiente para implementar a distribuição de produtos, serviços ou técnicas específicas de seu detentor (o franqueador) por terceiros (os franqueados), que farão parte de uma rede homogênea e trabalharão de acordo com alguns fundamentos e normas pré-definidos pelo franqueador.

Existem algumas classificações de tipos de Franchising quanto ao formato do negócio, maturidade, tamanho, etc…, bem como, outro tanto de outras sub-classificações. Independentemente delas, a essência pode ser definida como sendo a transferência de algo para terceiros que, apresentando-se interessados por algum motivo em um determinado negócio franqueável, passam a fazer parte de uma cadeia homogênea, controlada pelo detentor do negócio, ou seu representante legal.

O primeiro ponto fundamental para a estruturação de um sistema de franchising é a definição do objeto de transferência, ou o que será transmitido aos franqueados. Com freqüência, o objeto de transferência possui um valor intangível, constituído por um ou mais fatores de difícil (e, portanto, às vezes questionável) mensuração.

Algumas perguntas costumeiramente feitas por potenciais franqueadores ilustram bem a intangibilidade, ou subjetividade, de valores em questão, tais como: Quanto vale a marca da minha empresa? Qual o valor de um determinado território? Qual o valor mais adequado para cobrar periodicamente dos franqueados para que estes continuem a usufruir do meu sistema? Quanto valem os anos de experiência e know-how que possuo de meu negócio?

Estas e muitas outras perguntas fundamentais somente são respondidas após o estudo detalhado de cada caso, empresa ou negócio. A sincronia perfeita entre a valorização dos elementos intangíveis das empresas e as suas premissas estratégicas é fator primordial de sucesso de uma rede de franquias. Nesta fase, muitas empresas bem intencionadas, e com capital para investir no franqueamento de seu negócio freqüentemente vezes tropeçam.

O outro ponto fundamental para o sucesso de uma rede de franquias diz respeito a como a transferência é feita, isto é, a forma em que está calcada a transferência do objeto de franqueamento do franqueador para o franqueado. Neste tópico, pode-se incluir toda a plataforma que permite aos franqueados operarem seu negócio com sucesso. Esta fase de um projeto de franqueamento costumeiramente é bem compreendida pelos potenciais franqueadores, mas no entanto, nem todos se preocupam em desenvolver uma plataforma sólida o suficiente para suportar o crescimento da rede, o que por vezes também ocasionam problemas.

O sistema de franchising pode ser configurado como um sistema eficaz de transferência de tecnologia e experiência, com as vantagens de o franqueador ser remunerado antes e durante a transferência, estar habilitando terceiros a operar de acordo com seu próprio know-how, estar construindo uma rede e se beneficiando disto, além de associar e fortalecer sua marca e nome no mercado através da difusão em novos pontos de venda. Por mais tentador que possa parecer aos potenciais franqueadores, o ingresso no sistema de franchising poderá ter o efeito contrário do esperado se não houver o correto planejamento inicial desses e outros pontos fundamentais, por ocasião da implementação do plano de franqueamento.

Portanto, se você está pensando em ingressar no sistema de franchising, estude bem e planeje corretamente seus passos para não ter problemas no futuro.

Artigo publicado no Jornal O Estado de São Paulo caderno Empresas

54321
(1 vote. Average 5 of 5)